Garota Em Pedaços, Kathleen Glasgow

O livro conta a história da personagem Charlotte, uma garota que acorda em um hospital psiquiátrico para garotas que praticam a auto-mutilação. Desolada e abalada com tudo o que acontecera, além perder o pai e a melhor amiga agora ela tem que lidar com a realidade que lhe cerca.

“E, estranhamente, quando você começa a se cortar ou se queimar ou a trepar porque está se sentindo tão bosta e humilhada, seu corpo começa a liberar aquela merda de sentimento bom chamado endorfina, e você então se sente tão doidona que o mundo é como algodão-doce no melhor e mais colorido parque de diversões do mundo, só que sangrento e cheio de infecção. Mas o grande problema é que, quando começa a auto-mutilação, você nunca consegue não ser uma aberração horrorosa, porque seu corpo todo se transforma em um campo de batalhas marcado e queimado, e ninguém gosta disso em uma garota, ninguém vai amar isso, e, assim, todas nós, cada uma de nós, está ferrada, por dentro e por fora.”

Garota em pedaços nos traz um assunto delicado, além da auto-mutilação também temos retratado aqui o abuso de substâncias tóxicas e alcoólicas.

“Meu corpo está em chamas o tempo todo, me queimando dia e noite. Tenho que cortar esse calor infernal. Quando me limpo, me lavo e me recomponho, me sinto melhor. Mais fria por dentro e mais calma.”

Charlotte é uma personagem que, apesar de todo o trauma que sofrera, quer tentar de novo. Assim que uma nova oportunidade lhe aparece, ela não pensa duas vezes em investir no seu talento para as artes e tentar recomeçar sua vida. O que ela não esperava, no entanto, é que pessoas pudessem aparecer para tentar puxá-la para baixo novamente.

A angústia da personagem no decorrer do livro é tão real que é impossível não sentir empatia pela personagem. Toda a dor e sofrimento que ela carrega é mostrado sem nos poupar de detalhes.

“Na primeira vez que me cortei, a melhor parte veio depois: passar uma bola de algodão de um lado ao outro do ferimento, secando-o com cuidado, inspecionando-o, aninhando o braço de forma protetora contra a barriga. Pronto, pronto.”

A autora não teve medo ao escrever o livro e expor a história de uma garota que se auto-mutila. O tema retratado neste livro pode ser gatilho para muitos jovens adolescentes, mas com certeza é um livro que vai te estender a mão e mostrar que você não está sozinho, que há outras pessoas no mundo sentindo o mesmo que você.

É uma temática pesada, a cada página que você lê é uma lágrima que escorre. Se você é uma pessoa que já passou ou passa por isso (eu) você vai se sentir representado. E vai doer, pois você sabe o que a personagem está sentindo. Você sabe o que aquilo significa.

“Eu me corto porque não consigo lidar com as coisas. É simples assim. O mundo se torna um oceano, o oceano cai em cima de mim, o som da água é ensurdecedor, a água afoga meu coração, meu pânico fica do tamanho do mundo.”

A auto-mutilação é um tema serio que deveria ser falado e retratado mais vezes. No final do livro a autora ainda faz um bate papo com o leitor, contando a sua história e como decidiu escrever esse livro. Na edição brasileira ainda tem uma lista com lugares onde você possa buscar ajuda.

Não se silencie, não se afaste, você ainda pode se salvar.

4/5
2 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *