UMA REFLEXÃO SOBRE A VIDA

Eu nunca fui o tipo de criança que tinha amigos. Desde muito cedo, eu era sempre o alvo de piadas. Nunca consegui compreender porque todos me odiavam, como se eu tivesse culpa de algo. Ou talvez eu não sou gostável o suficiente. Eu acreditei que as coisas mudariam na faculdade, mas olha, que engraçado.

As coisas nunca mudaram de fato. Por algum motivo eu causava repúdio nas pessoas. Aprendi a fazer todos os meus trabalhos sozinha. O meu refúgio eram os livros e a escrita. Minhas palavras eram o meio que eu tinha arrumado para tentar diminuir a dor que existia em mim. Eu sonhava em fazer jornalismo e teatro. Sonhava que um dia eu subiria no palco e as pessoas aplaudiriam. Sonhava em escrever um livro, fazer minhas palavras ajudarem pessoas que se encontram na mesma situação. Mas foram apenas sonhos que nunca saíram do papel. Por influência de família e por medo de ser uma decepção, eu escolhi outro caminho. Segui fazendo o que eles queriam, que era medicina veterinária. No começo, eu não me arrependi, até era algo que eu gostava. Não há profissão mais linda do que a de poder salvar uma vida. O tempo foi passando e eu senti toda essa solidão me consumindo cada vez mais até o dia que eu entrei em colapso. Eu queria tanto alcançar a expectativa dos outros que esqueci da minha essência. Todos meus sonhos foram colocados de lado porque eu tinha a necessidade de ser aceita. Eu queria que sentissem orgulho de mim, que gostassem de mim.

A vida me ensinou que nem sempre as pessoas vão gostar da gente. E que família nem sempre vai entender nossos sonhos e nossas dores. A depressão vem silenciosa e, sem perceber, ela toma conta da sua vida. Me ensinou que ser forte é acordar todo dia e se arrumar com lágrimas nos olhos, mas mesmo assim ir cumprir sua obrigação. Ser forte é aguentar passar os dias sozinha, sem falar com ninguém e mesmo assim abrir um sorriso toda vez que sua mãe te dá boa noite. Ser forte é terminar algo que você não quer pelo simples fato de que você tem uma obrigação a cumprir. Ser forte é aguentar todas as porradas que a vida dá e ter esperança de que um dia as coisas vão melhorar para você.

Eu não desisti dos meus sonhos. Não tenho um milhão de amigos e todos os meus dias são dentro do meu quarto. São raros os momentos em que eu tenho com quem conversar ou que eu tenho a chance de pedir um abraço que seja. Os momentos que eu fico mal eu não tenho a quem correr, ou um ombro amigo para conversar.

Hoje eu ainda luto todos os dias, tentando achar meios de ser mais forte do que todos os demônios que me cercam. Pois hoje eu entendo que minha situação atual não é o meu futuro. E que apenas eu posso fazer algo para mudar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *